PROGRAMA MÚSICA

"2018 é o Ano Europeu do Património Cultural. Tanto a defesa do Património como o cuidado da Natureza, a mistura de sensibilidade e de prazer através da Música e a convivência sustentada pelo Humanismo social constituem a base fundamental e o sinal de identidade de uma experiência cultural como a que é proposta, anos após ano, pelo Terras sem Sombra. Por muito longe que se olhe, a viagem deste singular festival representa sempre uma viagem interior. A aproximação à Hungria, leitmotiv da vertente edição, contempla a riqueza da sua música, popular e culta, mas evidencia também, a partir do Alentejo, toda uma maneira de considerar historicamente os valores da cultura e da educação.

Após os concertos e as actividades de Património e Biodiversidade previstos para o ano em curso, estou certo de que conheceremos e amaremos mais, não só a arte e a identidade da Hungria, mas também dos outros países do Grupo de Visegrád, dos Estados Unidos da América, de Espanha e da Córsega, esse outro Alentejo, insular e montanhoso. E, em particular, as próprias terras alentejanas. Pois é disso mesmo que se trata: conhecer para amar, conhecer para viver. Venha do exterior ar refrescante ou ar cálido, as janelas perma- necerão abertas.”

JUAN ÁNGEL VELA DEL CAMPO

Director Artístico do Festival Terras sem Sombra


Concerto de Abertura . Vila de Frades

17 de Fevereiro [21H30]Igreja matriz de são cucufate

O vos omnes: Música Sacra Húngara dos Séculos XIX-XXI

VASZY VIKTOR KAMARAKÓRUSDIRECTOR MUSICAL . SÁNDOR GYÜDI

FERENC LISZT [1811-1886]Salve ReginaAve maris stellaO salutaris HostiaAve verum Corpus ChristiPater noster ZOLTÁN KODÁLY [1882-1967]Adventi ének [Canção de Advento]Media vita in morteMiserereEsti dal SÁNDOR SZOKOLAY [1931–2013]Cantate Domino MIKLÓS CSEMICZKY [1954-]Pater noster PÉTER TÓTH [1965-]O salutaris Hostia MÁTÉ BELLA [1985-]Lacrimosa MÁRTON LEVENTE HORVÁTH [1983-]O vos omnes PÉTER ZOMBOLA [1983-]Jubilate Deo

VASZY VIKTOR KAMARAKÓRUSFundado em 1958, tem Sándor Gyüdi como maestro titular há trinta temporadas. Entre os seus membros, contam-se coralistas do Teatro Nacional de Szeged, professores de música, estudantes da Faculdade de Artes Musicais da Universidade de Szeged, maestros de excelentes coros da cidade e outros cantores altamente qualificados. No seu repertório, a música coral a capella assume uma presença importante. As obras corais de Ferenc Liszt, Béla Bartók, Zoltán Kodály e das gerações que se lhes seguiram trouxeram um reconhecimento internacional à cultura coral húngara que tem, neste coro, um embaixador comprometido. Durante as últimas décadas, o Vaszy Viktor Kamarakóruso participou em muitas digressões no estrangeiro. SÁNDOR GYÜDIReputado especialista em música de coro, liderando coros e conjuntos vocais de alto nível artístico. É o diretor artístico do Coro de Câmara Vaszy Viktor de Szeged desde 1988.Em 1990, Sándor Gyüdi ficou ligado à Orquestra Sinfônica Nacional Húngara Szeged e foi nomeado Diretor e Maestro principal em 1999. Foi o principal responsável pela excelência da orquestra que teve ampla aclamação nas extensivas digressões nacionais e internacionais. Em 2008, foi nomeado Diretor Geral do Szeged National Theatre, o segundo teatro de ópera da Hungria, enquanto permanece Diretor de Música e Principal regente da Orquestra Sinfônica Nacional Húngara Szeged. Reconhecendo sua excelente performance musical, em 2006, Gyüdi foi premiado pelo prestigiado Prémio Liszt.

CONCERTO II . SERPA

3 de Março [21H30]musibéria

Longe, mas Perto: As Canções Populares Húngaras, de Fernando Lopes-Graça e a Tradição Magiar

MEIO-SOPRANO . CÁTIA MORESOPIANO . NUNO VIEIRA DE ALMEIDACANTO POPULAR . HANGA KACSÓCANTO POPULAR . ÁRON VÁRAISANFONA, FLAUTA E TÁROGATÓ . BÉLA SZERÉNYI

CÁTIA MORESO . MEIO-SOPRANOEstudou no Conservatório Nacional de Lisboa e na Guildhall School of Music and Drama, em Londres, onde obteve a Licenciatura em Canto e o Mestrado em Ópera. Bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian e do Lionel Anthony Charitable Trust, estudou no National Opera Studio com Susan Waters. Ganhou o Concurso de Canto da Fundação Rotária Portuguesa, o Prémio Bocage no Concurso Luísa Todi, o Concurso de Canto José Augusto Alegria e o Prémio Aria Friends Bursary do Wexford Opera Festival.O seu vasto repertório operático inclui Jocasta, em Oedipus Rex; Baronesa, em Lindane e Dalmiro; Ježibaba, em Rusalk; Suzuki, em Madame Butterfly; Mother Goose, em The Rake’s Progress; Tisbe, em La Cenerentola; Eva, em Comedie on the Bridge; Clotilde, em Norma; Segunda Bruxa e Espírito, em Dido e Eneias; Maddalena e Giovanna, em Rigoletto; Mezzo, em Lady Sarashina; Eboli, em Don Carlo; La Cieca, em La Gioconda; Giano, em Il Trionfo d’Amore; Dianora e Elisa, em La Spinalba; Hanna Wilson/Tracy, em The Losers; Terceira Dama, em A Flauta Mágica; Baronesa, em Chérubin; Madame de Croissy e Mère Jeanne, em Dialogues des Carmélites; Zanetto, na ópera homónima; Carmella, em La Vida Breve; Marcellina, em Le Nozze di Figaro; Carmen e Santuzza, em Cavalleria Rusticana; e Mrs. Quickly, em Falstaff.Em concerto, foi solista em Requiem, de Duruflé, Mozart, Verdi e Bomtempo; Nelson Mass, de Haydn; Gloria e Magnificat, de Vivaldi; Stabat Mater e Magnificat, de Pergolesi; Magnificat, Oratórias de Natal e de Páscoa, de Bach; Stabat Mater e Petite Messe Solennelle, de Rossini; e Missa n.º 3 e Te Deum, de Bruckner. NUNO VIEIRA DE ALMEIDA . PIANOEstudou em Lisboa com José Manuel Beirão e, como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, com Leonid Brumberg em Viena e com Geoffrey Parsons em Londres. Apresenta-se regularmente como pianista de Lied. Deu em Portugal muitas primeiras audições de obras de compositores como Schönberg, Webern, Wolf, Von Einen, Sckreker, Korngold, Weil, Bernstein e Britten. Em primeira audição mundial, obras de João Madureira, Carlos Caires, Constança Capdeville e Paulo Brandão. É autor de diversos projectos de síntese musical com áreas como a pintura, o teatro e a poesia. Foi co-autor com Yvette Centeno do programa de rádio “O Texto e a Música”. Colabora regularmente em espectáculos de teatro e cinema como intérprete e autor de bandas sonoras. É professor na Escola Superior de Música de Lisboa. HANGA KACSÓ . CANTORA TRADICIONALNascida em 1996, muito cedo se comprometeu com a música popular e o folclore, tendo, aos 7 anos, integrado o Coro Folclórico da cidade de Szolnok. Durante a sua infância ganhou várias distinções em competições nacionais de canto. Continuou os estudos na Escola Secundária de Artes Mu- sicais de Vác Pikéthy Tibor. O sucesso obtido no concurso Fölszállott a páva resultou em várias digressões e séries de concertos de gala que a levaram até à Suécia e à Transilvânia (Roménia), tendo sido uma das anfitriãs do Double Rise Festival de Torockó. Além das actuações com a sua própria formação, os Esszencia, é convidada permanente do Grupo Muzsikás. A par da interpretação, desenvolve uma actividade regular na área de ensino de canções populares, tanto na Hungria como na Transilvânia. ÁRON VÁRAI . CANTOR TRADICIONALÉ aluno do programa de Música Popular da Academia de Música Liszt Ferenc. Além de cantor, desenvolve uma actividade de dançarino também, tendo adquirido vasta expe- riência em várias formações de dança popular de Székesfehérvár. Trabalhou com vários grupos musicais de folclore. A par de muitas actuações na Hungria, actuou também na Europa Central e do Leste, na Turquia, na Alemanha e nos Estados Unidos. Desde pequeno participa em acampamentos de música e dança popular e dá formação aos jovens sobre folclore. Faz, também, a apresentação dos seus instrumentos de música popular (diferentes flautas, gaita de fole, idiofones) assumindo o compromisso da preservação do património cultural. BÉLA SZERÉNYI . SANFONA, FLAUTA E TÁROGATÓNasceu em Budapeste, em 1996, no seio de uma família de músicos de folclore. Como intérpete, gravou pela primeira vez aos 14 anos. Além do grupo musical da família, com o qual percorre o mundo, já actuou com os mais destacados intérpretes húngaros da música popular. Colabora, há vários anos, com a cantora Márta Sebestyén e com a soprano barroca e violoncelista Judit Andrejszki. Nos seus concertos intervém, também, como dançarino. Estudou saxofone clássico e, sendo estudante do programa de música popular da Academia de Música Liszt, fez o curso de sanfona e flauta, frequenta, também, aulas de jazz e de composição musical barroca. Nos concertos junta os instrumentos de música clássica com os da música popular (sanfona, o tárogató, a requinta e o cimbalão).

Concerto III . Odemira

17 de Março [21H30]igreja da misericórdia

Sob a mesma Árvore: Obras de Carrapatoso, Kodály, Hubay e Chopin

VENA PIANO TRIOPIANO . ANDREA FERNANDESVIOLONCELO . KAMILA SŁODKOWSKAVIOLINO . ERZSEBET HUTAS

EURICO CARRAPATOSO [1962-]O Eterno Feminino em Peer GyntI. AnitraII. SolveigIII. Ingrid ZOLTÁN KODÁLY [1882-1967]Duo for Violin and Cello, Op. 71[Duo para Violino e Violoncelo]I. Allegro serioso, non troppoII. Adagio – AndanteIII. Maestoso e largamente, ma non troppo lento – Presto JENŐ HUBAY [1858-1937]Scènes de la Csárda No. 5 Hullámzó Balaton, Op. 33 FRYDERYK CHOPIN [1810-1849]Piano Trio, op. 8 G menorI. Allegro con fuocoII. ScherzoIII. Adagio sostenutoIV. Finale: Allegretto

VENA PIANO TRIOFormado em 2015, em Budapeste, reúne três intérpretes oriundas de três países: Hungria, Portugal e Polónia. Ao atingir o segundo ano de actividade, tem vindo a destacar-se, no plano europeu, pelo nível de musicalidade e pela excelência técnica. Béla Bánfalvi, vencedor do Prémio Ferenc Liszt, escreveu a seu respeito: “o som deste ensemble é muito bem equilibrado e muito completo; é um prazer ouvi-las”. ANDREA FERNANDES (INDIA, PORTUGAL)PIANONasceu em Goa (Índia), no seio de uma família portuguesa, e possui esta nacionalidade. Estudou no Trinity College, de Abu Dhabi, e prosseguiu a formação na Kala Academy, de Goa, e na Escola Superior de Música de Lisboa, terminando o mestrado na Academia de Música Liszt Ferenc, de Budapeste. É maestro co-repetidor na Magyar Állami Operaház. KAMILA SŁODKOWSKA (POLÓNIA)VIOLONCELOApós os estudos iniciais na Państwowy Zespół Szkół Muzycznych im. Artura Rubinsteina, de Bydgoszczy, formou-se na Akademia Muzyczna im. Stanisława Moniuszki, de Gdańsk. É membro da Orquestra Sinfónica Dohnányi Ernő e chefe de naipe da Alba Regia Szimfonikus Zenekar, de Székesfehérvár, orquestras sinfónicas de referência na Hungria. ERZSÉBET HUTÁS (HUNGRÍA)VIOLINOFormou-se na Conservatória de Música Bartók Béla, de Budapeste, na Hochschule für Musik und Tanz, de Colónia, e no Konservatorium Wien Privatuniversität. É membro da Orquestra da Magyar Állami Operaház, a Ópera Estatal Húngara, e chefe de naipe na New Hungarian Chamber Orchestra.

Concerto IV . Mértola

14 de Abril [21H30]igreja matriz de nossa senhora entre as vinhas

Aos Quatro Ventos: Palimpsestos da Europa Central

SOPRANO . ANNA FÜRJESTENOR . MILOSLAV SYKORAPIANO . JAN VOJTEK, LUKASZ PIASECKIVIOLONCELO . KRISTINA VOCETKOVÁCIMBALÃO . GABRIELA JÍLKOVÁ

LEOŠ JANÁČEK [1854-1928]V mlhách [No nevoeiro]I. AndanteII. Molto adagioIII. AndantinoIV. Presto GYÖRGY KURTÁG [1926-]Szálkák [Farpas]I. Molto agitatoII. SostenutoIII. VivoIV. Mesto JAROMÍR DADÁK [1930-]Janko, Janko, zlá novina[Joãozinho, não há boas notícias] FRYDERYK CHOPIN [1810-1849]Ballade As-dur, op. 47, n.º 3 MICHAŁ MALEC [1985-]Trois Images for piano solo ANTONÍN DVOŘÁK [1841-1904]Rondo . Když mne stará matka zpívat[Canções que a minha mãe me ensinou] GEJZA DUSÍK [1907-1988]Pieseň o rodnej zemi (Najkrajší kút v šírom svete je moja rodná zem) [Canção sobre a Pátria (O canto mais formoso do mundo é a terra onde nasci)] ZOLTÁN KODÁLY [1882-1967]Fáj a szívem [Dói-me o coração] Háry János – Tiszán innen, Dunán túl (Örzse és Háry kettőse) [Aquém-Tisza, Além-Danúbio] (Dueto de Örzse e Háry)]

ANNA FÜRJES . MEIO-SOPRANONasceu em 1996, em Budapeste. Iniciou os estudos vocais, aos 14 anos, na Conservatória de Música Bartók Béla. É aluna do programa vocal da Academia de Música Liszt Ferenc, onde aperfeiçoa conhecimentos sob a orientação da soprano Andrea Meláth. Tem sido premiada em concursos nacionais. Em 2017, foi convidada para o Armel Opera Festival, de Budapeste, e para o Mezinárodní Hudební Festival Pražské Jaro, o Festival Internacional de Música da Primavera, de Praga. MIROSLAV SÝKORA . TENORNasceu em 1988, em Kralovsky Chlmec (Eslováquia). Concluídos os estudos de Piano na Escola de Artes da cidade natal, foi admitido no Conservatório de Kosice, onde se formou em Canto Clássico. Após a licenciatura, passou a integrar a companhia do Teatro Nacional, como membro de Coro e desempenhando papéis de solista. Foi distinguido com o prémio Descoberta do Ano 2014, o Prémio Týtý, em Praga (República Checa). Ingressou no curso de Canto Clássico da Academia de Música Liszt Ferenc, onde estuda sob a orientação de Magda Nádor. JAN VOJTEK . PIANONasceu em 1995, em Brno (República Checa). Começou a tocar com cinco anos. Estudou na Academia de Artes Musicais Janáček, de Brno, destacando-se como aluno de Jiří Doležel, o que lhe deu a oportunidade de tocar com as orquestras nacionais checa e lituana. Realizou igualmente um Mozartian Tour com a orquestra do Národní Divadlo, do Teatro Nacional de Brno. Participou com distinção em diversos concursos conquistando vários prémios. Frequentou em Budapeste a Conservatória de Música Bartók Béla. Actualmente, é aluno da Academia de Música Liszt Ferenc, aperfeiçoando os conhecimentos sob a orientação de Gábor Eckhardt, Attila Némethy e Gábor Farkas. ŁUKASZ PIASECKI . PIANONatural da Polónia, decidiu tornar-se pianista em criança. Frequentou uma escola secundária especializada em Música, onde se graduou com distinção. Foi em seguida admitido na famosa Universidade de Música Fryderyk Chopin, de Varsóvia, estudando aqui sob a orientação de Anna Jastrzebska-Quinn. Prosseguiu a formação na Academia de Música Liszt Ferenc, como aluno de Gábor Eckhardt. Apaixonado pela obra de Chopin, tem-se dedicado igualmente à música contemporânea polaca e ao repertório camerístico. Em 2016, obteve o 2.º prémio do Concorso Internazionale di Esecutione Musicale “Premio Citta”, de Pádua. KRISTINA VOCETKOVA . VIOLONCELONatural da República Checa, começou a tocar violoncelo aos seis anos de idade, na classe de Katerina Hronikova. Aos 14 anos, ingressou no Conservatório de Praga, salientando-se como aluna de Jaroslav Kulhan. Sob a sua orientação, foi admitida na Juilliard School, de Nova Iorque, e na Academia de Música Liszt Ferenc, onde estuda com Csaba Onczay. Participou com distinção em mais de 20 concursos nacionais e internacionais, conquistando vários prémios. Em 2010, recebeu uma bolsa da Yamaha Music Foundation of Europe. Para além de se apresentar em música de câmara e em orquestra, tem tocado como solista, colaborando com diversas orquestras e pianistas de renome da República Checa. O duo de cordas que fundou com o violinista Matous Peruska venceu diversos concursos e foi distinguido com vários prémios. GABRIELA JÍLKOVÁ . CIMBALÃONascida em 1994, em Ostrava (República Checa) obteve quatro vezes o 1.º prémio no International Cimbalom Festival, de Valašské Meziříčí, o que lhe abriu as portas a concertos a solo no âmbito do Hukvaldy International Music Festival, em 2006 e 2014. Graduou-se com a Janáčkova Filharmonie Ostrava, em 2015, interpretando o Concerto para Cimbalão e Orquestra de Cordas, de Daniel Skála, seu mestre. Colabora regularmente em projectos de outros músicos. Com o clarinetista islandês Auður Edda Erlendsdóttir venceu o concurso nacional de música de câmara da Islândia, em 2016, realizando ambos o concerto de abertura do Icelandic Chamber Music Festival (2017). Dirige o agrupamento de música tradicional Pramínky e colabora com ensembles famosos, entre eles o Youkio Sawy Trio, do Japão. Presentemente, Gabriela Jílková aperfeiçoa os conhecimentos na Academia de Música Liszt Ferenc.

Concerto V . Ferreira do Alentejo

28 de Abril [21H30]igreja matriz de nossa senhora da assunção

Um Roteiro de Sentimentos: Entre Bach e Bolcom

PIANO . PAULINE YANG

JOHANN SEBASTIAN BACH [1685-1750]Schafe können sicher weiden, BWV 208(transc. de Egon Petri) DOMENICO SCARLATTI [1685-1757]Sonata em A Maior, K. 322/L. 483Sonata em D Menor, K. 64/L. 58 FELIX MENDELSSOHN [1809-1847]Lieder ohne Worte em A-bemol Maior,op. 38, n.º 6 (“Duet”)Lieder ohne Worte em E Major, op. 18, N.º 1 FRYDERYK CHOPIN [1810-1849]Polonaise en C# Minor, op. 26, n.º 1 SERGEI RACHMANINOFF [1873-1943]Vocalise (transc. de Earl Wild) JOHANNES BRAHMS [1833-1897]Rhapsodies, op. 79 ENRIQUE GRANADOS [1867-1916]Quejas, o La Maja y el Ruiseñor (Goyescas, op. 11) ROBERT SCHUMANN [1810-1856]FERENC LISZT [1811-1886]Widmung, S. 566 FERENC LISZTRhapsodie Hongroise n.º 11 em A Minor, S. 244 WILLIAM BOLCOM [1938-]Graceful Ghost Rag

PAULINE YANG . PIANOIniciou os estudos de piano aos cinco anos; aos sete, venceu o seu primeiro concurso internacional, em Washington. Aos onze anos, fez o début num concerto com a Philadelphia Orchestra e num recital a solo no Carnegie Hall e foi admitida na Juilliard School, de Nova Iorque. Integra o Perlman Music Program da Faculdade Toby and Itzhak Perlman, na Florida e em Israel. Tem realizado digressões, a solo ou com agrupamentos de música de câmara, por todo o mundo. É “Embaixadora da Música” de Music in Me, uma organização não-governamental que colabora com as Nações Unidas para levar música às crianças no Médio Oriente, é Artista Voluntária no Hospital Pediátrico de Los Angeles e no General Hospital do Massachusetts. Possui o mestrado em Piano pela University of Souther California e em Relações Internacionais da Fletcher School of Law and Diplomacy da Tufts University.

Concerto VI . Beja

5 de Maio [21H30]igreja matriz de santa maria

O Canto na Ilha da Liberdade: Vozes Corsas

BARBARA FURTUNA . VOIX CORSESJEAN-PHILIPPE GUISSANIMAXIME MERLANDIJEAN-PIERRE MARCHETTIANDRÉ DOMINICI

JEAN-PHILIPPE GUISSANI / ANDRÉ DOMINICITradicional (Arr. de Maxime Merlandi) JEAN-PHILIPPE GUISSANI/MAXIME MERLANDISì Vita sì JEAN-PHILIPPE GUISSANI/MAXIME MERLANDITi Dicera VINCENTE GIUBEGA [1761-1800]Ad Amore (Arr. Barbara Furtuna) ANTON BATTISTA PAOLI [1858-1931]Lamentu di u Castagnu (arr. Barbara Furtuna) JEAN-BAPTISTE CLEMENT [1836-1903]FRANÇOIS-AUGUSTE RENARD [1806-1890]A Bella Stagione (Arr. de Maxime Merlandi) JEAN-PHILIPPE GUISSANI/MAXIME MERLANDIQuantu Volte JEAN-PHILIPPE GUISSANI/MAXIME MERLANDIFiure JEAN-PHILIPPE GUISSANI/MAXIME MERLANDIMariaTradicionalMiseremini MeiTradicional (arr. de Maxime Merlandi)SanctusTradicional (arr. de Maxime Merlandi)SubveniteTradicional (arr. de Maxime Merlandi)Ave Maris Stella

BARBARA FURTUNA . VOIX CORSESEste concerto é dedicado à memória do etnomusicólogo Michel Giacometti [Ajaccio, 1929-Faro, 1990], fautor de pontes entre a Córsega, a sua terra natal, e o Alentejo, a terra onde repousa (Peroguarda).Nascido há 15 anos no coração de Nebbiu, este agrupamento tem vindo a percorrer o planeta. Das aldeias alcantiladas da Córsega aos auditórios de Paris, Londres, Berlim ou Nova Iorque, das margens do Mediterrâneo à longínqua Ásia, a sós ou em colaboração com o ensemble barroco L’Arpeggiata, o Duo Belem ou o tenor Plácido Domingo, os seus quatro artistas fazem brilhar a língua corsa longe das fronteiras da Ilha da Liberdade. Este singular percurso tornou-se possível graças à exigência, mesclada de pudor, de Jean-Philippe Guissani, Maxime Merlandi, Jean-Pierre Marchetti e André Dominici. Sem nunca abdicarem da estreita fidelidade às tradições da ilha, aos seus valores e à sua história, abriram uma via artística quase única, recusando cair em lugares-comuns e repertórios estereotipados.

Concerto VII . elvas

19 de Maio [21H30]igreja de nossa senhora da assunção

Guerra e Paz: A Trombeta Histórica na Música Barroca Europeia

CLARINES DE BATALLATROMBETA HISTÓRICA . VICENTE ALCAIDEÓRGÃO . ABRAHAM MARTÍNEZPERCUSSÃO . ÁLVARO GARRIDO

ANÓNIMO (FLORES DE MÚSICA, 1706)Obra de Clarines, 8.º de Mano Derecha ANÓNIMO (FLORES DE MÚSICA, 1709)MatassineOutro Género de CanariosEntrada de BretonsObra de PensieDúo de Dos Clarines n.º 14La Marcha de Gautier ANÓNIMO (HUERTO AMENO DE VARIAS FLORES DE MÚSICA, 1709)Chacona ANÓNIMO (FLORES DE MÚSICA, 1706)2.as Llamadas de ClarínOtra Canción, se Ha de Tocar GraveCanción de Dos ClarinesCanción de Clarín con Eco a DiscreciónOtra Canción ANÓNIMO (FLORES DE MÚSICA, 1706)Obra de Cuarto Tono ANÓNIMO (FLORES DE MÚSICA, 1706)Batalla de Quinto Tono ANÓNIMO (HUERTO AMENO DE VARIAS FLORES DE MÚSICA, 1708)Baile del Gran Duque ANÓNIMO (FLORES DE MÚSICA, 1709)Bailo di DameMinué N.º 6El VillanoMinué N.º 7Minué al Violín n.º 26 (Rigaudon)

VICENTE ALCAIDE . TROMBETA HISTÓRICAÉ especialista em Interpretação Instrumental, na área de Trombeta (2009-2010), e mestre em Interpretação Instrumental, na área de Música de Câmara (2010-2011), pela Universidad Internacional de Andalucía. De 2012 a 2015, fez estudos de pós-graduação no Conservatório Giovanni Battista Martini, de Bolonha. Em 2014, fundou, com Abraham Martínez, um duo de trombeta natural e órgão que, posteriormente alargado com a participação de Álvaro Garrido, passou a denominar-se Clarines de Batalla. É professor de Trombeta e de Trombeta Histórica, no Conservatório Superior de Música de Jaén, e de Trombeta Natural, na Trumpetland School. ABRAHAM MARTÍNEZ . ÓRGÃOProfessor superior de Direcção de Coros (2003), Música Sacra (2003), Solfejo e Teoria da Música (1999) no Conservatório Superior de Música de Sevilha. Foi docente de Órgão nos conservatórios de Cáceres e Sanlúcar la Mayor, em inúmeros conventos e mosteiros de clausura e no Seminário Maior Metropolitano de Sevilha. Como organeiro, levou a cabo o restauro de instrumentos históricos. Escreveu diversas obras num estilo que denominou “minimalismo modal místico”. Colabora na recuperação, transcrição e interpretação do património musical de arquivos privados. ÁLVARO GARRIDO . PERCUSSÃOMúsico autodidacta, coleccionista de instrumentos e obstinado pesquisador de sons, vem-se dedicando a um repertório que se estende desde a música antiga até à música experimental. Especialista em percussões de mão, estudou na Berkeley School of Music, de Boston, e participou em cursos de aperfeiçoamento com Glen Velez, John Bergamo e Pedro Estevan. Tem integrado grupos de referência. Colabora habitualmente, entre outros, com o violagambista italiano Paolo Pandolfo, a cantora israelita Yasmin Levy e o alaudista espanhol José Miguel Moreno.

Concerto VIII . Barrancos

2 de Junho [21H30]igreja matriz de nossa senhora da conceição

All’Ongarese: Das Estepes Húngaras aos Salões Barrocos

LUDOVICE ENSEMBLE TRAVERSOS E FLAUTAS . JOANA AMORIMOBOÉS, FLAUTAS E DUDUK . PEDRO LOPES E CASTROVIOLINO BARROCO . PATRIZIO GERMONEVIOLINO BARROCO . REYES GALLARDOVIOLA DE GAMBA . SOFIA DINIZCRAVO E DIRECÇÃO MUSICAL . FERNANDO MIGUEL JALÔTO

ANÓNIMOS HÚNGAROS E ESLOVACOS DO SÉCULO XVIIChorea hungarica – ProportioTerÿ megh [már] bujdossasidbul(Notæ Hungariæ Variæ)Chorea polonica – Curant ANÓNIMO ITALIANO (?) [1634-1642]/[1652-1671]Canzôn a 5 ANÓNIMOS HÚNGAROS E VALÁQUIOS [1634-1642]/[1652-1671]Balletta I: VariatioChorea Tancz – BallettaChorea polonica – CurrantaANÓNIMOS HÚNGAROS DO SÉCULO XVIIChorea e Tancz [Sinfonias e Danças] Húngaras e RomenasPÁL I, PRÍNCIPE ESTERHÁZY DE GALÁNTHA [1635-1713] & ANÓNIMOSNil canitur iucundius – Iesu, chare – Exsult iam terraO quam dulcis es – O suavissime – Cur fles, IesuAve, rosa sine spina – O Maria, mater pia– Ave, dulcis Virgo ANÓNIMOS HÚNGAROS E AUSTRÍACOS, 1689Ungarischer Tantz – ProportioEin anderer Ungarischer Tantz – ProportioUngerischer Tantz, des Fürsten auß Siebenbürgen– Proportion darauff JOHANN JOSEPH FUX [1660-1741]Sinfonia à 3 (“Turcaria”), K331TurcariaPassacaglia: AndanteJanitscharaPosta Turcica JEAN-PHILIPPE RAMEAU [1683-1764]L’Egyptienne MARIN MARAIS [1656-1728]Marche PersaneMarche Tartare – La Tartarine & Double JOSEPH HAYDN [1732-1809]Rondo all’Ongarese: Presto, Op. 82, n.º 2, Hob XV/25 GEORG PHILIPP TELEMANN [1681-1767]Les Turcs, TWV55 B5Les Janissaires, TWV55 D7Hanaquoise, TWV55 D3Concert Polonais, TWV43 G7Dolce – AllegroConcerto para Flauta e Traverso, TWV52 e1Largo – Presto

LUDOVICE ENSEMBLEEste agrupamento surgiu em Lisboa, em 2004, com o objectivo de divulgar o repertório de câmara vocal e instrumental dos séculos XVII e XVIII, através de interpretações historicamente informadas e usando instrumentos antigos. Tem sido presença habitual nos principais auditórios e festivais de Portugal e além-fronteiras, tem actuado em festivais de referência. Já gravou ao vivo para Antena 2, Rádio Nacional Checa e Mezzo. O seu primeiro registo discográfico foi nomeado em 2013 para os prestigiados prémios ICMA, na categoria de Barroco Vocal. FERNANDO MIGUEL JALÔTOCRAVO E DIRECÇÃO MUSICALCompletou a licenciatura e o mestrado em Cravo no Koninklijk Conservatorium, de Haia, na classe de Jacques Ogg. Estudou ainda Órgão Barroco e Clavicórdio. É Mestre em Música pela Universidade de Aveiro. Fundador do Ludovice Ensemble, integra a Orquestra Barroca Casa da Música e colabora com grupos especializados internacionais. Toca regularmente com a Orquestra Gulbenkian. Gravou para a Brilliant Classics, a Dynamic, a Glossa Music, a Parati e a Anima & Corpo, bem como para várias estações radiofónicas e televisivas europeias. Foi professor no Conservatório Nacional de Lisboa, no Conservatório de Música do Porto e na Universidade de Évora.

Concerto IX . Sines

16 de Junho [21H30]centro das artes

Face ao Paraíso: Uma Genealogia do Pianismo nos Séculos XIX e XX

PIANO . ARTUR PIZARRO

JOHANN SEBASTIAN BACH [1685-1750]Chaconne da Partita n.º 2 para violino em ré menor,BWV 1004 (transc. de Ferrucio Busoni) ROBERT SCHUMANN [1810-1856]Études Symphoniques, Op. 13(incluindo as cinco variações póstumas)Thème – AndanteÉtude I (Variation 1) – Un poco più vivoÉtude II (Variation 2) – AndanteÉtude III – VivaceÉtude IV (Variation 3) – Allegro marcatoÉtude V (Variation 4) – ScherzandoÉtude VI (Variation 5) – Agitato [Cinco variações póstumas]Étude VII (Variation 6) – Allegro moltoÉtude VIII (Variation 7) – Sempre marcatissimoÉtude IX – Presto possibileÉtude X (Variation 8) – Allegro con energiaÉtude XI (Variation 9) – Andante espressivoÉtude XII (Finale) – Allegro brillante FERENC LISZT [1811-1886]Sonata para piano em si menor, S.178

ARTUR PIZARRO . PIANONascido em Lisboa em 1968, actuou em público pela primeira vez aos três anos de idade. Os seus primeiros passos ao piano foram acompanhados pela avó, a pianista Berta da Nóbrega e por Campos Coelho. Entre 1974 e 1990, estudou com Sequeira Costa. Frequentou a classe de Aldo Ciccolini no Conservatoire National Supérieur de Musique, de Paris, e recebeu aulas de Bruno Rigutto.Detém três primeiros prémios do Concurso Vianna da Motta (1987), do Greater Palm Beach Piano Competition (1989) e da Leeds International Piano Competition (1990). Actua regularmente em recitais a solo, em duo de piano com Rinaldo Zhok e em concertos de música de câmara. Apresenta-se também com as mais prestigiadas orquestras. Possui uma extensa discografia e as suas gravações constam em diversos catálogos. Foi galardoado com o Prémio Bordalo, o Prémio SPA, a Medalha de Mérito Cultural da Cidade de Funchal e a Medalha de Mérito Cultural de Portugal. Em 2014, recebeu o Prémio Albéniz, em reconhecimento pelo trabalho de divulgação da Suite Iberia. Lecciona na Academia Nacional Superior de Orquestra, de Lisboa.

Concerto de Encerramento Santiago do Cacém

30 de Junho [21H30]igreja matriz de santiago maior

Fragmentos Vitais: Kurtág e a sua Circunstância

SOPRANO . ANDREA BRASSÓI-JŐRÖSVIOLINO . MÁTÉ SOÓSPIANO . PÉTER KISSCLARINETE . PÉTER SZÜCS

GYÖRGY KURTÁG [1926-]Kafka Fragmente, op. 241a. Die Guten gehn im gleichen Schritt...1b. Wie ein Weg im Herbst1d. Ruhelos 1e. Berceuse I1f. Nimmermehr (Excommunicatio)1k. Sonntag, den 19. Juli 1910 (Berceuse II)1p. Keine Rückkehr1r. Träumend hing die Blume BELLA MÁTÉ [1985-]Insomnia (szóló klarinétra)[para solo de clarinete] BÉLA BARTÓK [1881-1945]Öt dal (Ady Endre verseire), op. 16[Cinco Canções (Para Poemas de Endre Ady)]I. Három őszi könnycseppIII. Az ágyam hívogatV. Nem mehetek hozzád MIKLÓS CSEMICZKY [1954-]2. Szólószonáta hegedűre[2.ª Sonata para solo de violino]4.º andamento PÉTER EÖTVÖS [1944-]Dances of the Brush-footed Butterfly GYULA FEKETE [1962-]Csárdás

ANDREA BRASSÓI-JŐRÖS . SOPRANOComeçou a estudar música na Transcarpátia (Ucrânia) e formou-se em Piano na Escola das Artes de Visk. Especializou-se em Canto e Piano na Escola Profissional de Artes Musicais Kodály Zoltán, de Debrecen. Realizou os estudos superiores na Faculdade de Artes Musicais da Universidade de Debrecen, onde concluiu a licenciatura em Canto Clássico. Obteve o mestrado em Canto Lírico na Academia de Música Liszt Ferenc. Dominando um repertório cada vez mais abrangente, é convidada regular de produções de música contemporânea (com destaque para as obras de Kurtág), sendo uma das cantoras mais procuradas da sua geração. Trabalhou com artistas de grande renome. Já actuou em importantes salas sendo convidada regular na Transcarpátia e na Transilvânia. MÁTÉ SOÓS . VIOLINOÉ um dos mais promissores representantes da jovem geração de violinistas húngaros. Após os estudos musicais na cidade de Miskolc e tendo vencido vários concursos, foi seleccionado, aos 13 anos, para o programa de Talentos Excepcionais da Academia de Música Liszt Ferenc, onde estuda sob a orientação de Eszter Perényi. É aluno do mestrado da Academia onde trabalha com o apoio do violinista Ádám Banda. Paralelamente às capacidades que revela como solista, merecem destaque as qualidades enquanto músico de câmara – integra várias formações, com realce para o seu próprio quarteto de cordas, em que assume o papel de primeiro violino. Além do repertório clássico, tem-se dedicado com profundidade às diferentes correntes da música contemporânea. PÉTER KISS . PIANONasceu em 1986, em Salgótarján. Estudou na Escola Secundária de Artes Musicais Béla Bartók. Licenciou-se, com distinção, na Academia de Música Liszt Ferenc 2010, tendo completado os estudos na Hochschule für Musik und Darstellende Kunst, de Frankfurt, sob orientação de Catherine Wickers. É professor auxiliar do Departamento de Música de Câmara da Academia Liszt. Laureado em várias competições, obteve a bolsa Annie Fischer e foi distinguido com o Junior Prima Prize. Como solista e músico de câmara, deu concertos em diversos pontos do mundo, tendo colaborado com músicos de grande reputação. Dedica-se também à música contemporânea, tendo colaborado em várias estreias absolutas e gravações de rádio. Trabalha assiduamente com vários compositores húngaros e internacionais. É colaborador da Orquestra UMZE, membro do Ludium Ensemble, dirigido por Gábor Csalog, e membro fundador do Trio Inception. PÉTER SZÜCS . CLARINETELicenciou-se com distinção na Academia de Música Liszt Ferenc. É convidado, assiduamente, para cursos e festivais internacionais. Graças à bolsa Fischer Annie para intérpretes, apresentou, juntamente com um dos seus parceiros permanentes de música de câmara, Péter Kiss, vários concertos na Hungria e no estrangeiro. Colabora regularmente com a Orquestra de Câmara UMZE e com várias orquestras nacionais. Em 2015-2016, foi eleito membro do Lucerne Festival Young Performance Ensemble. Aperfeiçoou os conhecimentos no Conservatoire National Supérieur de Musique et de Danse, de Paris, sob a orientação de Alain Billard. Frequenta a Escola de Doutoramento da Academia de Música Liszt Ferenc.